segunda-feira, janeiro 25

Últimas linhas







Eu não pude ver a tempestade nos teus olhos porque eu me perdi na confusão das tuas palavras
E mesmo assim eu entendi que o que querias dizer era Adeus.

E então, entreguei-me a calmaria tortuosa dos braços da dor.

Mas enquanto deixava meu corpo cair no infinito eco da soledade, silenciosamente dizia-lhe com os olhos:

- ‘Amo-te’.

Tal declaração ficou perdida no escuro, de fato.

No entanto, sei que em seu íntimo sabias disso.

Sabe, fui bruscamente arrancada do sonho que outrora me preenchia e alegrava.

Esse foi teu ato mais cruel.

Arrancar minhas asas...

Impedir-me de voar.

Ao ponto que já me é mais do que apenas insuportável, não conseguir deixar de te amar.



~ Laura Ribeiro

2 comentários:

Rafa Cullen disse...

Own, que lindo *-* Apesar de triste, lindo. O amor é isso. Um muito de dor, mas um tanto de felicidade que compensa todo o resto
=*

...Losт αиgєl... disse...

Oiii

Gostei mtu do teu blog, é interessante...
E esse texto é lindo...
Já estou te seguindo!!!

Ah, vc podia dar uma passadinha no meu blog e dizer o q acha dele: pensamentosqueatormentam.blogspot.com

Bjss e brigadinha