sexta-feira, março 12

Alucinações

Cap.9 - A praia


Tentando buscar a solução, ali eu estava, na praia!
Peguei aquele baú e lentamente o abri, vi ali fotos de minha avó, e em muitas delas haviam fantasmas, e ali também havia um diario, ele era de minha avó, ali ela contava tudo que eu já sabia, mas na última folha de seu diário, ela escreveu:
"Sei que você minha netinha já deve de ter descobrindo todo esse novo mundo, o sobrenatural, aquele que todos temem, e minha querida, choro agora por saber que terei de abandona-la, pois como já sabes, não achei a solução para este nosso problema, e pelo que creio, não há solução, a não ser o suicídio."


Havia outras coisas escritas naquele diário, eu vira como minha avó era forte, suportou aquilo por anos, e soube controla-lo por um certo tempo, e eu não consegui isso, um final de semana já me era o suficiente, eu não era forte como ela.
Ainda sentada sobre a areia, senti um vento diferente percorrer sobre mim, não era como aqueles do mar, era diferente, ele tinham um medo, algo ruim, era igual a aqueles de filmes de terror.
Me virei para trás e vi algo estraordinario, eu não consigo lhe dizer o que era, mas eu percebi que este não era bom.
-Você sabe que não consegue, não sabe? - logo disse aquilo
-Você é um dos chacais?
-Se eu fosse, você não estaria mais viva! - respondeu
-Então você não pode me matar? - quase me tranquilizei
Ele apenas riu
-Só eu posso te ver?
-Mas não é você que vê coisas do além? - ele ironizou
-O que você quer? - logo encurtei a conversa
-Te dizer que não será fácil, você não é como ela, e sabe também que o chacais logo irão atrás de quem você ama, e farão muito mais, só para pegar você!
-Sei, e porque me diz isso?
-O suicidio é sua unica solução, sua filha logo voltará, e eles a pegarão...
-Pare! Não quero lhe escutar! Chega vá embora, eu já sei tudo isso, não quero mais saber
-Vou embora, mas te digo para tomar muito cuidado e parar de pensar só em si, sua familia depende de você!
Logo aquele ser que eu ainda não sei distinguir saiu dali, eu tremia como se estivesse no meu carro em uma rua esburacada.
Fiquei ali por um tempo, observando aquele mar, e eu pensara muito naquilo que eu ouvira daquela coisa, e tinha tomado minha decisão, o suicídio era a unica forma, não tinha outro jeito, até minha avó que fora mais forte do que eu, acabou-se assim.


Continua...


**Queria me desculpar a todos, pois havia prometido publicar o resto da história ainda essa semana, eu pensara em publicar o penúltimo capitulo (que é esse) segunda-feira e o ultimo hoje, mas as ocupações da escola não me deixou.
Obrigada a todos, beijos!

4 comentários:

Fernanda disse...

ahh acho que ela não vai se suicidar,ela parece mais forte que a avó dela.

Jυℓyαnα ツ disse...

Ela não pode se suicidar!!!
Ela pode viver e controlar isso!!!



Bejãoooo ;*

Hamilton H. Kubo disse...

Falo de gerações, a Avó bem poderia ser mais forte.
Mas mais forte em que momento?
O que mais poderia ela (Avó) fazer além de somar forças a sua neta.
As vezes é nos mostrando as dificuldades, é que passamos a enxergar possibilidades.

Ótimo texto, aguardo a continuação.

Bjos

LOUCOS POR JESUS disse...

Que show! Ela vai morrer?
Ai posta logo...to curiosa...