sábado, dezembro 5

Perdida em algum lugar


Cap. 14 - A Neve

Eu não podia acreditar no que estava vendo.
Era um bosque coberto pela neve.
-Será que é a tal neve?- Pergunta Rebeca
-Tomara que seja!- respondi -Vamos entrar?
-Vamos! - respondeu Rebeca meio que temendo.
Andamos muito, estávamos com frio, nossas pernas doíam, foi quando avistamos uma menina sentada na neve, ao lado dela havia um cachorro, muito bonito, e machucado.
-Meu Deus! -Exclamei, correndo para ajudar, e Rebeca veio atrás de mim:
-Oi! O que aconteceu? - pergunta ela para a menina
-Lobos! Vocês poderiam me ajudar? - perguntou a menina
-Claro- respondemos
Então a ajudamos a pegar o cachorro que por sinal era muito pesado
-O caminho é longo - Disse a menina
-Não tem problema - respondi
-Mas seus pais não irão brigar com você?
-Não, não tenho pais e estou ajudando Verônica a achar o caminho de sua casa. - Disse Rebeca
-É eu não sou daqui, mas é uma grande história!
-Bom vocês parecem estar com frio, e fome não é?!
-Sim estamos!
-Bom fiquem aqui em casa, e depois quando forem viajar dou a vocês algumas roupas de frio!
-Mas seus pais irão nos deixar ficar aqui?
-Também não tenho pais, moro aqui nessa casa sozinha, desde pequena aprendi a me vira,eu tenho dinheiro, que antes de meus pais morrerem eles deixaram para mim uma quantia enorme em dinheiro, assim sempre vou a cidade comprar, então moro sozinha e ninguém se preocupa comigo.
-Então seremos sua companhia durante esses dias, pode? - perguntei
-Claro, ando meio só de uns dias para cá, meu único amigo é esse lindo cão.
-É ele é muito bonito- disse Rebeca - E como você se chama?
-Lylin - disse ela sorrindo, ela estava feliz, podia se ver em seu olhar
Lylin morava em uma casa que era bem bonita, mas as casas mais próximas era as do vilarejo, que ficavam a uma boa distância.
-Bom aqui é a minha casa! - disse ela abrindo a porta
-Ai que "fofis" - Se não fosse Rebeca para falar isso, bom, não era mais ninguém.
Ela foi pegar o remédios para seu cachorro, nos deu alguns casacos e cobertores, e nos mostrou os quartos.
-Moro aqui há quatro anos sozinha, minha mãe era feiticeira, e ela me deixou muitos aprendizados, e meu pai era carpinteiro.
Quando ela disse que sua mãe era feiticeira, me lembrei da outra feiticeira:
-Lylin,Você sabe se por aqui existe alguma escada que no final dela existe um portal?
Lylin assustada com o que eu disse, se levantou da cadeira e se virou, meio que nervosa, tentando mudar o assunto
-E a história que você ia me contar?
-A minha história é essa escada, preciso dela, sem ela eu não posso ir para casa.
Lylin ofegante e muito pensativa, disse:
-O que eu vou te contar você não pode contar a ninguém!
-Vou ficar de bico calado! - disse Rebeca
-Mas é comigo que ela tá falando Rebeca! - eu retruquei
-A tá! Mas eu vou ouvir também, ou você acha que eu iria ficar de fora desse segredo? Nunca meu bem! - disse ela eufórica
-Me escutem, aquela escada tem uma magia impressionante, quem vive aqui nesse mundo não pode conhecer aquele que está do outro lado, e quem é de lá pode vir aqui, mas é muito deficil a entrada, a pessoa tem que ser invocada.
-Então alguém quis que eu estivesse aqui?
-Sim, talvez não fosse uma pessoa, mas o destino. Mas essa pessoa não pode vim aqui toda vez em que alguém desse mundo a quer, só a cada 1 ano.
-Porque eu não posso ir para lá?! - pergunta Rebeca irritada
-Somos de outro mundo, somos o que dizem de seres mágicos, não podemos entrar no mundo real, que é o dela!
-Verônica! - disse Rebeca triste- Nós vamos ficar longe uma da outra durante todo esse tempo?
-Bom, se vocês não esquecerem de me chamar daqui a um ano, será só um tempo, mas mesmo assim sentirei sua falta Rebeca! -falei já quase chorando
A noite passou e Rebeca já tinha dormido
-Lylin, você está dormindo?
-Não
-Me promete que irá cuidar de Rebeca?
-Sim, ela pode morar aqui, vou cuidar dela, seremos boas amigas.
Me levantei com um sorriso e dei um abraço em Lylin.
-Amanhã eu vou embora.
-Mas já? Fique mais um pouco. - disse Lylin
-Eu já não me aguento de saudades dos meus pais e do meu mundo.
-Então vamos dormir, pois amanhã o dia será longo.
Fomos dormir, pois o dia seguinte iria ter muitos acontecimentos


Continua...

3 comentários:

anarte disse...

O Natal está a chegar e chega sempre a mesma dúvida de sempre: O QUE É QUE VOU OFERECER AOS MEUS AMIGOS E FAMILIARES NO NATAL?



Pois bem, eu tenho a solução para os vossos problemas: Visitem o meu blog http://artana22.blogspot.com/ e aí encontraram várias peças artesanais, feitas à mão, que podem oferecer no Natal aos vossos familiares e amigos.


Aproveitem pois, para além de seres muito baratos, são peças originais para poderem oferecer nesta época natalícia.

PERNAMBUCANIDADE disse...

Gabi parabens pelo blog, gosto muito de ler o que escreve!

Gabriela disse...

obrigada!