terça-feira, março 30

Alucinações

O Final


Sai da praia, e fui em minha casa, peguei uma caneta e umas folhas, e comecei a escrever, em umas das folhas eu dizia tudo o que me acontecera durante aquele tempo, e na outra tentava me explicar para Liss e meus pais.
Quando terminei de escrever, coloquei a carta para minha familia em cima da cama de Liss, e junto uma boneca que eu comprara para Liss.
A outra carta, em que eu falava dos acontecimentos, guardei no baú, eu fiz a mesma coisa que minha avó, aquilo era lembranças de que alguém precisaria, peguei o baú e o levei até o cemitério, ia entrega-lo a amiga de minha avó, e dizer a ela para repassar o recado que fora dado a mim.
Nesta mesma hora me direcionei para a represa, era agora o meu final, eu iria ter o mesmo fim de minha avó.
Cheguei na represa, eu pensara muito durante o caminho, chorava como uma criança, como eu queria um colo naquela hora....
Senti um frio percorrer sobre meu corpo, o barulho daquelas águas era imenso, chegou minha hora, enquanto eu me aproximava da ponte, via toda minha vida passar como um filme, todos aqueles momentos de alegria, tristeza, a...Como era bons!
Meu corpo congelou, minha mente parou, era como se um outro ser entra-se em mim, neste mesmo momento pulei daquele lugar, eu via tudo, o vento me cortava, eu naquele momento pensava em Liss, mas já era tarde, eu não conseguira, eu me sentia fracassada...

Acabou, Sierra já não pensa mais, agora é um passado, e um triste presente de muitos...

Liss e seus avós chegam em casa....

-Mamãe!!! mamãe!! Olha o monte de coisa que eu comprei... Onde está mamãe? - Dizia Liss parada na porta do quarto de sua mãe
Neste mesmo momento sua avó chega na porta
-Vovó minha mãe não está aqui, e eu sinto um medo dentro de mim. - Falou Liss já começando a chorar, sua avó a pegou no colo, e disse que não poderia ser nada, ela deveria de ter saido com as amigas, as duas desceram juntas e começaram a dar telefonemas, ninguém sabia de Sierra, absolutamente ninguém, as duas foram na casa da vizinha, e ela também não sabia:
-Pode ficar com Liss para mim? Vou procurar Sierra! - Disse a avó de Liss
-Sim - concordou a mulher
Dona Mila saiu a procura de sua filha, entrou dentro da casa dela e ligou para seu marido:
-Meu bem, Sierra sumiu! Não a achamos em lugar algum, já liguei para todas suas amigas, e ninguém sabe dela! Ligue para todos da familia e para a policia, temos que procura-la!
Assim ela subiu as escadas, e ao abrir as portas do quarto de Liss, lá estava, a carta e a boneca, Dona Mila sentiu percorrer um medo, já imaginara o que acontecera, sentiu as lágrimas percorrerem seu rosto, e seu corpo já se encontrava endurecido, seu coração disparara, ela pegava a carta nas mãos como se pegasse o cristal mais raro, e devagar a desdobrou, olhou para a boneca antes de ler, suspirou fundo, chorava, a dor era grande, e pode se ouvir teu grito por todo o quarteirão, era assustador, ela lera a carta!
Os vizinhos a ouviu, e correram para dentro da casa, e encontraram Dona Mila estirada ao chão, chorava ao ponto de se engasgar, todos imaginaram naquele momento o que acontecera, a carta estava em suas mãos, podia se sentir um medo, uma dor, ao simplesmente passar a porta daquela casa.
Sierra não pode ser enterrada, pois não acharam seu corpo, Liss crescera com a dúvida da morte de sua mãe, Dona Mila viveu, porque seu sustento era Liss, que agora era sua unica paixão!


Fim....


Bem não sei se fui bem nesse final, na verdade queria que Sierra sobrevivesse, mas eu não consegui achar as peças certas para isso, então ai está o final de
" Alucinações"!

Um comentário:

Hamilton H. Kubo disse...

Sierra bem poderia ter sobrevivido.
Mas como disse faltaram lhe as peças para o desfecho de Sierra.
Mesmo assim, "Alucinações" prende o leitor que sofre juntamente a Mila, que perderá sua filha.

Beijos e parabéns pelo post!